Acho que não vou

Você me pergunta quando vou.
Quando nem sei mais se vale a pena a ida.

#aleatório

Não seria diferente

Tem horas que as palavras me fogem. Que faço pouco caso em poder escrever. Falta a vontade. Mas, em contrapartida. Tem horas que você consegue ser a razão do meu turbilhão desenfreado conjugado em verbos e expresso em parágrafos.

Acho engraçado como algumas pessoas procuram a contemplação do que é belo em coisas materiais. Optam por irem a uma galeria, por lerem desenfreadamente um livro. Ou encontram a nobreza da vida em pequenos gestos. Não vou negar que também sou assim. Mas, antes de tudo contemplo o belo em você. E poucas pessoas no mundo terão a mesma chance. Isso é uma honra, porque dentre as muitas contemplações disponho de uma raridade.

Sensibilidade é

Uma alma que anseia pela nobreza de um toque sincero. Mas, que tem receio de que algo estrague a doçura dos gestos.

Um segundo de felicidade

Sorri um sorriso torto, meio bobo. Quando vi seu nome ali.

Existem pessoas que se apaixonam pelas palavras. E é a ausência delas que me fazem permanecer com a satisfação em contemplar os detalhes. Algumas pessoas precisam da presença para que o outro se mantenha sempre ao lado. E é a distância que me faz guardar nobremente os momentos partilhados, permitidos ao longo de um tempo que parece infinito em pequenos instantes. Tudo então é singular. E seria injusto se não pensasse que com você é assim.